Em Outubro de 1956, a convite do então Reitor da Igreja da Lapa, no Porto, Reverendo Padre Luís Rodrigues, passou a desempenhar o cargo de organista desta Igreja o insígne maestro e compositor italiano D. Angelo Fasciollo e desde logo surgiu a necessidade de dotar a Igreja de um Coro. Em 1984 passa a designar-se Coro S. Tarcísio da Igreja da Lapa e, ao deixar esta Igreja em Junho de 1997, mudando para a Igreja da Trindade, no Porto, adquiriu o actual nome de Coro de S. Tarcísio. Além de um vasto reportório litúrgico de todas as épocas, têm sido apresentadas em público obras de Gounod, Mozart, Haydn, Orlando di Lasso, Eberlin, Rossini, Donizetti, Jenkins, Fauré, Vivaldi e Ramirez. Em Maio de 2008 foi-lhe atribuído o estatuto de Instituição de Utilidade Pública. Em Fevereiro de 2011 o Coro deixou a Igreja da Trindade e mudou-se para a Igreja de Santo António das Antas, onde participa nas missas dominicais das 12H15. Ao longo da sua existência foi dirigido por vários maestros, tais como: Ivo Savini, Silva Pereira, Günther Argleb, José Atalaya e António Soares. Destaca-se particularmente o Maestro José Belarmino Soares, que o orientou desde 1979 e que só a morte súbita, em 2000, interrompeu. Actualmente são seus responsáveis artísticos o Pianista Jairo Grossi e o Barítono Pedro Telles.